Farmácias do Povo
Informações
A Empresa
Entre em Contato
 
Cuide de Sua Saúde
Higiene Oral
Informações sobre Doenças
Qualidade de Vida
Saúde e Prevenção
 
Informações
Medicamentos
Terminologias
Artigos
Farmacêutico
 
A Empresa Artigos Medicamentos Entre em Contato
 

Azia: Entenda este Problema
A azia é um sintoma, uma sensação de queimação na "boca do estômago" que se manifesta devido a vários distúrbios. O mais comum é o refluxo gastro-esofágico, conhecido simplesmente como refluxo, que é o retorno do suco gástrico para o esôfago, ou seja, quando o alimento que já caiu no estômago faz o caminho de volta. Existe também a azia causada pelo refluxo duodeno-gástrico, quando o alimento que já saiu do estômago e foi para o duodeno volta ao estômago.
Refluxo gastro-esofágico
Quando comemos, os alimentos percorrem o esôfago e, antes de chegar ao estômago, passam por uma espécie de válvula, que tem um mecanismo coordenado de abrir e fechar. Assim que a comida passa, essa válvula chamada cárdia se fecha de modo a não permitir que os ácidos digestivos subam de volta para o esôfago.
O refluxo ocorre quando o processo de abrir e fechar desta válvula falha. A causa mais freqüente para este problema é a hérnia de hiato, que altera o funcionamento da válvula. Se a válvula permanece aberta, permite o refluxo, que por sua vez causa azia.
Pequenas quantidades de refluxo ocorrem normalmente, sendo então chamado de refluxo fisiológico. O problema é quando ele é exagerado, causado por ou causando doenças, sendo assim chamado refluxo patológico.
Refluxo duodeno-gástrico
No final do estômago, na entrada do duodeno, há outra comporta abre-fecha chamada piloro. Quando o bolo estomacal chega no piloro, este se fecha, e o alimento pode voltar e atingir a válvula cárdia novamente, e até refluir ao esôfago.
O bolo alimentar normalmente passa através do piloro, mas é normal que aconteça aí um pequeno refluxo, o chamado refluxo duodeno-gástrico. Em algumas pessoas, entretanto, este processo é mais violento, causando um refluxo duodeno-gástrico patológico.
Este tipo de refluxo traz quantidades exageradas de bile e enzimas pancreáticas, juntamente com alimento, de volta ao estômago, podendo chegar inclusive ao esôfago. Isto também causa azia.
Pessoas que foram submetidas a cirurgias de estômago com retirada do piloro são quase sempre vítimas do refluxo bíleo-pancreático exagerado, o que pode causar uma gastrite (inflamação do estômago) no estômago remanescente, e até esofagite (inflamação do esôfago), doenças que também causam azia.
Outras causas
Outras causas de azia são úlcera de estômago ou de duodeno e o câncer de estômago. E, além das doenças já mencionadas, a azia pode ser resultado de combinações de bebidas gasosas ou alcoólicas fermentadas com frituras, chocolate, doces, café ou quando a pessoa abusa dos líquidos durante uma refeição.
Estas misturas bombásticas favorecem o refluxo por dificultarem o esvaziamento gástrico, ou seja, a digestão fica mais lenta, acarretando a azia.
A sensação de ardência ou queimação vem da acidez do bolo estomacal, ou também por alimentos gordurosos, doces, café, álcool, frutas ácidas, nicotina e alimentos muito condimentados.
Evite a queimação
Se você sofre freqüentemente com este problema, vá ao médico. Pode ser algo simples de ser resolvido, mas também pode se tratar de uma doença grave, pois a azia pode ser sintoma de câncer. Por isso, não se automedique, consulte um gastroenterologista. E procure adotar alguns hábitos saudáveis, como:
Faça refeições leves e sem pressa, mastigando bem os alimentos.
Não pratique exercícios físicos, nem se abaixe ou se curve após as refeições.
Evite beber durante as refeições. Bolo alimentar mais consistente tem menor probabilidade de causar refluxo.
Não use cintos ou roupas apertadas na região do abdômen.
Perca peso, pois a obesidade aumenta a incidência de azia.
Evite café, bebidas alcoólicas, chocolate e comidas gordurosas.
Não fume.
Aumente a salivação com gomas de mascar ou balas duras. A saliva pode aliviar a dor.
Evite refeições perto do horário de deitar-se. Durma com travesseiros mais altos ou eleve a cabeceira da cama com um calço.
Antiácidos podem aliviar os sintomas, mas devem ser evitados sem acompanhamento médico adequado.
Dr. Marcelo Mester, cirurgião gastroenterologista do Hospital das Clínicas, de São Paulo.
Fonte:
http://www.jnjbrasil.com.br/noticia_full.asp?in=2395¬icia=1876&pos=1&destaque=
Voltar

| Higiene Oral | Informações sobre Doenças | Qualidade de Vida | Saúde e Prevenção |
Rua Ulisses Cabral, 70 | Térreo | Centro | Sapucaia do Sul / RS | 93.220-000
(51) 474-8728 | contato@farmaciasdopovo.com.br

Criado e desenvolvido por lgdesign